Cultura de Marca - Folha Top of Mind

Grandes portfólios de marcas até ontem independentes, como Unilever e P&G, estão demonstrando, via endosso, maior ligação entre a sua cultura organizacional e os seus produtos. Os dois grupos são exemplos de como as fronteiras entre a marca corporativa e a marca de produto ou serviço estão cada vez mais tênues.

As razões para isso podem ser várias, como a criação de valor, a gestão de risco e a redução de custo de marketing. O mais interessante e desafiador, no entanto, não são as razões para se fazer uma arquitetura de marca com endosso; e sim o resultado dessa decisão: o reconhecimento de uma nova realidade a ser gerenciada. Digo “reconhecimento” porque é fato que existe a interdependência entre a marca do produto ou serviço e a empresa responsável por ele. Ou alguém acha que a Natura faria um xampu Seda ou a Unilever um Natura Ekos? Cada empresa tem sua cultura que é capaz de gerar um tipo de produto e não outro.Na realidade, a ligação entre a marca corporativa e a marca de produto sempre existiu. Porém era possível omiti-la. As razões eram desde as mais estratégicas às mais ingênuas, como não comprometer a empresa caso um produto não desse certo.

Mas em época de sociedade em rede, tudo se sabe na velocidade do tempo real. Então, por prudência, melhor se antecipar à exposição, planejar e tirar partido da íntima relação entre a cultura corporativa e os produtos e serviços que ela é capaz de entregar para o mercado.

Existem vantagens extraordinárias se o escopo da gestão for a cultura da marca como “um jeito de pensar e fazer”, não apenas apresentar seus produtos e serviços isoladamente com seus benefícios, preços e propaganda. Quando o consumidor identifica uma cultura por trás do produto, ele passa a confiar não apenas naquela marca adquirida, mas também nas outras que estão sob o guarda-chuva da mesma marca-mãe.

Na prática, a marca corporativa se traduz numa filosofia e numa ação de gestão que cria um vínculo mais profundo e duradouro com o consumidor. Confiança é a palavra que descreve a base desse relacionamento. O consumidor adota a cultura da marca como dele e passa a defender o jeito de produzir, de distribuir, de vender, de anunciar, de consumir e pós-consumir aquele produto. Tenho experiências com marcas que provocam tanta identificação e confiança que o consumidor descreve as instalações e os ritos da empresa como se tivesse estado lá.

As grandes marcas tradicionais e as novas marcas nativas da web despertam essa confiança e têm nos públicos de seu ecossistema a grande fonte de inspiração e informação que as mantém eternamente contemporâneas.

São marcas que não gerenciam apenas “share” de mercado e imagem, mas também um jeito de pensar e fazer que nasce na empresa como cultura organizacional e que vive no mercado como cultura de marca.

Thymus integra estratégia da marca e estratégia de negócios de maneira a provocar o maior impacto no ecossistema de negócios.

contato

Av. Dra Ruth Cardoso, 620 2º andar - jardim europa, são paulo
(Antiga Rua Hungria)
+ 55 11 3039.5875+ 55 11 3039.5876thymus@thymus.com.br
envie um email